Alunos conhecem o folclore da Ilha de Santa Catarina

No dia que antecede a comemoração pelos 346 anos de Florianópolis, os alunos do Ensino Infantil até o 5º ano participaram, no auditório Kuno Paulo Rohden, de uma tarde de aprendizado sobre o folclore ilhéu. Afinal, a Ilha de Santa Catarina é recheada de lendas e mitos que povoam o imaginário coletivo e que têm sobrevivido, apesar do crescimento do município e da chegada de novos moradores.

Aos alunos do Ensino Infantil ao 2º ano, foi apresentado um esquete teatral que fala sobre a formação da Lagoa do Peri, cujos personagens Tancinha e Nicolau foram interpretados pelos atores Joana Carvalho e Valter Rosa. Os olhinhos dos pequenos ficaram vidrados na história da bruxa Conceição e do índio Peri, que se conheceram na floresta, apaixonaram-se, mas foram impedidos de ficarem juntos. Conceição chorou tanto de tristeza que suas lágrimas salgadas formaram a Lagoa da Conceição. Enquanto Peri foi transformado em uma lagoa de água doce em formato de coração.

Os alunos do 3º ao 5º ano conheceram a história da Praia de Itaguaçu, que na língua indígena significa pedra grande. Segundo relatos de historiadores, a formação rochosa que existe naquela praia representa a vingança do Diabo, por

não ter sido convidado para um grande sarau de bruxas, em que estavam presentes os curupiras, as mulas-sem-cabeça, os lobisomens e os boitatás. Com raiva, o Diabo transformou todos em pedras, dando nome à lenda que existe até os dias atuais.

Para a Diretora Acadêmica, Louisa Schroter, “a vivência dos alunos com o folclore e com as manifestações culturais típicas das populações açorianas, que fundaram a cidade, são fundamentais para que eles participem da cultura da cidade onde residem”.

2019-04-03T10:28:53+00:00